A história por trás do recomeço

Olá, bem vindo novamente.

Daremos continuidade ao tema que iniciamos no artigo passado, a construção de um novo símbolo que vocês terão o prazer de conhecer.

 

A “marca” é uma palavra curiosa, pois muitas vezes nos remete aos aspectos visuais de uma empresa, ou seja, seu logotipo. Mas aqui iremos desvendar algo para vocês, afinal, em nossos conteúdos sempre mostramos o porquê das coisas. Marca, em uma visão mais ampla, é o que você deixa para outra pessoa quando já não está com ela. A frase muito conhecida “A primeira impressão é a que fica”. Então, neste caso não é um símbolo, mas uma sensação, enfim, algo que marcou aquela interação.

E este foi o início do nosso processo de rebranding. Escutamos nossos clientes para saber qual era a marca que tínhamos deixado até aquele momento. Algumas coisas nós prevíamos, mas outras foram surpresas positivas.

 

Vejam o que falaram de nós:

– Se a marca fosse um homem, seria confiante. Se fosse uma mulher, seria autêntica.

– Se fôssemos um ambiente, seríamos originais e futuristas, algo como o escritório das startups.

– Se fôssemos um carro, seríamos algo entre um Jeep e um Mini Cooper.

– Se fôssemos um animal, diferente do que pensamos – uma coruja da sabedoria ou um tubarão da agressividade – seríamos um camaleão, o que muito nos honrou pela versatilidade deste animalzinho.

 

Com relação à descontração, fomos considerados uma marca quase descontraída. Em relação à exclusividade, menos exclusiva e mais acessível. Nos consideraram altamente tecnológicos, mais racionais que emocionais. Altamente vibrante e brasileira.

Enfim, essa é a verdadeira marca que deixamos em nossos clientes, e exatamente a impressão que gostaríamos de ter passado.

 

Pois é, ouvir o cliente é sempre importante para sabermos o que eles pensam sobre nós e que marca estamos deixando. Ficamos felizes em saber que a impressão que estamos deixando está completamente alinhada com a nossa missão de fazer as pessoas e empresas venderem mais e melhor.

 

Ainda como fruto deste estudo, escolhemos algumas palavras que representam a personalidade de nossa marca. Dentre tantos adjetivos, escolhemos 4:

– Comprometida: Veste a camisa e dá o 100% de si em tudo o que faz.

– Transformadora: Promove a evolução pessoal e corporativa.

– Confiante: Para atuar com segurança e assertividade.

– Impulsionadora: Incentiva, facilita e acelera novas conquistas.

 

E tivemos a difícil tarefa de ter que escolher outros 4 adjetivos positivos que não somos. Foi difícil, mas aí está o que escolhemos não fazer parte da nossa marca:

– Não é Calma: É dinâmica, não é acomodada, movimenta onde passa.

– Não é Aventureira: Age com planejamento, não se arrisca sem necessidade.

– Não é Delicada: É forte e resistente, age com impacto e objetividade.

– Não é Imponente: É próxima, aberta ao diálogo.

 

Foi uma grande experiência revisitar a impressão que deixamos em nossos clientes e, principalmente, ter que escolher qual caminho seguir, porém o resultado foi interessante e você verá em breve.

No próximo artigo, falaremos sobre o Golden Circle e apresentaremos o nosso porquê, como e o que. Afinal, é sempre melhor começar pelo porquê.

 

Continue nos seguindo por aqui e nas redes sociais, em breve traremos mais novidades.

 

Vendas…Vendas… Vendas… WOW!

#ProtagonistasDoProgresso

Fique por dentro
das novidades
Nada de spam por aqui! Muitas notícias, insights, informações e conhecimentos compartilhados sobre o munda das vendas.