Saudades do Treinamento Presencial? Não!

São 06:30 da manhã, seu despertador toca, você aperta o botão soneca para ganhar mais 10 minutinhos que mais pareceram 10 segundos. Você precisa levantar, afinal, já combinou com seu colega de irem juntos para mais um treinamento que a sua empresa está oferecendo.

Você chega na casa dele, ele ainda não desceu e o motorista do aplicativo fica um pouco impaciente. Finalmente, ele entra no carro com alguma desculpa esfarrapada e vocês seguem a viagem.

O trânsito está intenso, e o medo que vocês têm é o de ter que entrar após o início da apresentação e passar pelo constrangimento de que todos saberão que você resolveu dormir um pouquinho a mais.

Apesar dos perrengues, você consegue chegar no horário, passa pelo credenciamento, recebe o crachá com o seu nome e, finalmente, te encaminham para a sala, onde passará o dia todo, mas com alguns intervalos em que poderá desfrutar das delícias do coffee break e colocar a sua dieta da semana à prova.

Esses momentos descritos acima fazem – ou faziam – parte dos clássicos treinamentos e desenvolvimentos de equipes corporativas e, hoje, devido às circunstâncias globais já sabidas por todos, não deverão acontecer por muito tempo.

A grande maioria das equipes de treinamento e desenvolvimento de inúmeras empresas com quem conversei nestes últimos 4 meses relataram desafios muito parecidos, entre eles: como engajar a equipe remotamente, como adaptar os colaboradores aos encontros digitais e, por fim, como criar uma experiência parecida com os treinamentos físicos.

Eu posso dizer com muita segurança que nenhuma empresa deveria sentir saudade dos encontros presenciais, e vou explicar alguns motivos para isso. Se eu acredito que nunca mais deveremos ter eventos presenciais? Não, eles precisarão acontecer mais do que nunca, porém de maneiras diferentes, mas eu falarei disso em outro artigo.

Voltando aos encontros digitais, vamos aos seus pontos positivos e como que nós aqui na Aceleração de Vendas estamos trabalhando com isso.

Logo de cara, podemos excluir todos os problemas que descrevi nos primeiros parágrafos. A partir de agora, cada colaborador poderá participar diretamente do conforto do seu lar, escolhendo onde ficará sentado, o que irá tomar, que roupa usar… Ou seja, menos coisas para se preocupar.

Os encontros digitais se tratam muito menos das plataformas tecnológicas utilizadas e muito mais sobre a experiência oferecida para cada um dos treinandos. Por exemplo, como é a participação de um aluno em um evento presencial? Ele tem que levantar a mão, aguardar o microfone chegar, quebrar a barreira da timidez para falar em público, se apresentar e por aí vai. Já nos digitais, o treinador sabe o nome de todos os participantes desde o início, pode ler os comentários pelo chat da ferramenta, chamar quem ele quiser pelo nome ao observar uma reação e cada treinando pode acionar o seu microfone instantaneamente.

A participação é muito mais rica, construtiva e colaborativa nos eventos digitais, isso é um fato inegável. Vamos analisar as clássicas atividades em grupo, ou role plays. Tem que parar tudo, todos levantam, arrastam as mesas, as cadeiras e, em alguns casos, ainda ficam em uma posição desconfortável.

Todos esses problemas, agora, são resolvidos com um simples botão, que ao ser selecionado imediatamente direciona cada participante para a sua sala correta. E se alguém estiver com dúvidas, basta apertar outro botão para que o treinador entre nesta sala e esclareça as dúvidas.

O que temos observado por meio de feedbacks, tanto de nossos clientes como dos treinandos diretamente, é que as experiências e a transmissão do conhecimento está fluindo naturalmente com um engajamento muito maior do que acontecia nos eventos presenciais.

Em um dos treinamento em que eu estava participando, fiz uma brincadeira e apareceu uma interação com um aluno que sabia fazer uma imitação de um famoso apresentador. A partir daí, ele entrou na brincadeira e conduzimos todo o curso de uma forma ainda mais irreverente, tanto que no final do módulo aconteceu algo inédito, as pessoas não queriam sair da sala digital, estavam engajadas, participando e rindo. Quando que em um evento físico poderíamos ter uma experiência como essa?

Um dos maiores pilares educacionais da Aceleração de Vendas é tornar nossos alunos os protagonistas de suas ações. E isso nunca aconteceu de forma tão simples e natural.

A partir de agora, devemos considerar que o conceito de Transformação Digital faz parte de um recente passado, que deu espaço para o que estou chamando de Comportamento Digital. Ou seja, como todos nós devemos viver nossas rotinas neste novo mundo conectado, digital e interativo?

Se você ainda não sabe responder a esta pergunta, talvez possa pressionar o seu botão soneca, mas cuidado para que não se passem 10 anos e você ache que foram somente 10 dias.

 

Felipe Chaya

Fique por dentro
das novidades
Nada de spam por aqui! Muitas notícias, insights, informações e conhecimentos compartilhados sobre o munda das vendas.